domingo, 24 de setembro de 2006

«Violoncelo»

Chegado o Outono, são outras as tonalidades que nos vêm envolver, criando em nós estados de espírito que seriam banidos no Verão. É o efeito daquilo a que os franceses chamam «l'air du temps» (o tempo cronológico e, também, o sazonal).
A propósito, recomendo àqueles e àquelas que, pelo menos, lêem Francês (como a cultura linguística portuguesa se amesquinhou nestes últimos vinte anos…) a comparação com «Chanson d'automne» de Verlaine, que postei ontem; as surpresas não se farão esperar…

(A Carlos Amaro)
Chorai, arcadas
Do violoncelo,
Convulsionadas.
Pontes aladas
De pesadelo…

De que esvoaçam,
Brancos, os arcos.
Por baixo passam,
Se despedaçam,
No rio os barcos.

Fundas, soluçam
Caudais de choro.
Que ruínas, ouçam…
Se se debruçam,
Que sorvedouro!

Lívidos astros,
Soidões lacustres…
Lemes e mastros…
E os alabastros
Dos balaústres!

Urnas quebradas.
Blocos de gelo!
Chorai, arcadas
Do violoncelo,
Despedaçadas…

Camilo PESSANHA, Clepsidra

6 comentários:

Gray disse...

I do not understand your wonderful language that well. So I must rely on my trusty computer translator.

Beautiful, Ric. That's all I can say, beautiful!

RIC disse...

I can only hope, dear Gray, that translation was not at all like some I've read... They usually turn common texts into obnoxious jokes. But I do trust you, Gray! You know I do!
This poem was written in the beginning of the 20.th century, still under the influence of French symbolism. In Portuguese its strength comes specially from an intensive play with sounds the whole poem through, creating a quite unique atmosphere...
I've always loved it, and means a lot to me specially when Autumn sets in.
Thank you very much for commenting on a Portuguese poem! Be sure I do appreciate that very, very much!
Hugs! :-)

Tina disse...

Hi Ric!

For sure, I don´t belong here... I should have born over there...(sorry no way to say it in Portuguese).Com certeza. Lindo poema (both in French and Portuguese)Parabéns pelo post.

Obrigada pela msg que me deixou, fez toda diferença. Amei.

Küsse,

RIC disse...

Querida Tina!
Não tenho o direito de te obrigar a nada, como é evidente! Se não te sentes à vontade para escrever em Português, não é por viveres no Brasil que és obrigada a fazê-lo. Naturalmente! Não posso nem quero obrigar ninguém a nada.
Ainda bem que gostaste! Eu é que te agradeço pela tua gentileza!
Küsse auch für Dich! :-)

Shadow disse...

Como o meu Francês é quase nulo, não será possível fazer a tal comparação que sugeres.
Resta-me deleitar com as palavras de Camilo Pessanha que tanto aprecio.

Boa semana :-)

RIC disse...

Olá Carla!
A comparação serve sobretudo para estabelecer uma ligação entre ambos os posts. Não é de todo uma necessidade.
E Camilo Pessanha é por si muitíssimo.
Ainda bem que gostaste!
Boa semana também para ti!