segunda-feira, 25 de setembro de 2006

I. Fúria mal contida...

A estúpida produção televisiva nacional – bacoca e maniqueísta – funciona por clichés saturados de imbecilidade:
- se é comédia, o homossexual é uma «bicha indecorosa», estulto e histriónico;
- se é drama, o homossexual é um ser compenetrado, vítima infeliz do seu mau fado.

E que tal se se fossem todos f… mais as mer… que têm dentro da cabeça?!
Disse.

10 comentários:

Joel disse...

I hope you'll have something for me to read on Wednesday!?

RIC disse...

Joel, my dear, you're being so unfair, you know? The week has barely begun, and you're already asking me about Wednesday?!
Have you read only the first word of this post? No! «Fúria», which in French is «furie» and in English «fury». That's my state of spirit right now.
Prends garde à toi, Joel!

Carioca disse...

Oi, Ric.
Olha, esse é um problema das produções televisivas aqui do Brasil também: o homossexual é sempre retratado como um personagem estereotipado.
Não sei se isso é a causa ou o efeito da visão clássica que a maioria da sociedade tem dos gays. Afinal, se você disser pra alguém ´Imagine um gay!`, ou a pessoa vai imaginar aquela bichinha toda delicadinha ou vai imaginar aquele cara alto, musculoso, que pratica uns 10 esportes.
Como eu disse, não sei se a televisão causa isso na sociedade ou se ela simplesmente retrata essa idéia da sociedade.
Bom, talvez seja as duas coisas, né?

RIC disse...

Estou de acordo contigo, Carioca. Só que uma televisão que se preze (e não estas mer... que conseguem irritar-me) não deve ser uma correia de transmissão de banalidades e lugares-comuns, seja qual for o assunto. Há lá gente muito bem paga cuja obrigação é pensar e não repetir até à exaustão toda a porcaria que se ouve por todo o lado!!!
Desculpa, Carioca, mas estou mesmo furioso com tanta estupidez que, ainda por cima, é «desculpada» pelas audiências! Ora bolas, vão-se todos f... mais as mentiras idiotas!
Pelo que tenho visto nas vossas telenovelas, garanto-te que vocês já estão mais adiante do que nós. Isto aqui está mesmo uma grande mer... em relação a este assunto.

Um abração para ti!
Obrigado!
Fui!

Shadow disse...

Lamentavelmente somos um povo com uma mente (demasiado) mesquinha...

(Queres ajuda para os mandar f...?)


Boa semana! :-)

RIC disse...

Como já tiveste várias oportunidades de verificar, Carla, de vez em quando não resisto a uma furiosa diatribe!
E é como tu bem dizes: por causa desta mesquinhez nacional que não nos deixa ir a lado nenhum. Se só de vez em quando os bem-pensantes de cá pusessem os olhos em Espanha (mas com olhos de ver, não de olhar), talvez conseguissem aprender alguma coisa de jeito; se é que são capazes de aprender... (Se tivessem sido meus alunos teriam reprovado gloriosamente, garanto-te!).
Obrigado pela ajuda, mas para eles eu estava a pensar assim mais num esquema bem SM... (Eu fico fora desses números, entenda-se! Não quero ter nada a ver com essa gente...) Ou bem que é punição ou não é nada...
Boa semana para ti também!

Karla disse...

RIC,
pode-se dizer com as letras todas? Talvez lá chegue com mais contundência!!

RIC disse...

Menina! Sei que tens uma invejável experiência blogosférica e creio que tens toda a razão, mas o que é que hei-de fazer?... Apesar de eu as dizer com todas as vogais, com todas as consoantes, com todas as sílabas, etc., a verdade é que esteticamente não me agrada nada vê-las chapadas no post.
Eu sei que eles são burros, mas de palavrões é conhecimento que não lhes falta... Acho até que são capazes de ter doutoramentos nessa área... Assim, prefiro não me misturar...
Agradecido pela onda solidária!
Beijinhos, querida Karla! (Vê lá o que fazes quando um dia decidires deixar cair o K...) (lol!)

Karla disse...

Quem sabe, nesse dia, passo a escrever tudo com todas as letras. :-)
Tal como tu, também não uso todas as letras. Não sei se por uma questão estética se, por entender que nem sempre o vernáculo é bem utilizado. Uma coisa é dizer, outra é escrever. Ás vezes, é na entoação que damos às palavras, que está toda a diferença. E eu não sei entoar a escrita.
Infelizmente, é o que se vê mais por aí, na blogoesfera. Parece até ser moda, principalmente nos blogs de escrita feminina.

RIC disse...

A sério?! Pelos deuses! Estou em crer, Karla, que essas não serão grandes exemplos de Mulher. Passo a explicar(-me): por maior que seja a veneração, a adoração, a paixão, o amor... que tenha por um homem, a mulher raramente abdica do que a distingue para se igualar ao homem naquilo que ele tem, de facto, de menos evoluído...
E enquanto a massa muscular masculina aumenta na razão inversa da cinzenta, é a mulher que percorre o caminho inverso. E assim a macheza está condenada a tornar-se um objecto de palco... E os gajos parece estarem a gostar disso, o que comprova o meu ponto de vista...
Quanto ao dito palavrão, é isso mesmo: é para ser dito com a entoação e a ênfase que a escrita dificilmente reproduz (exceptuando os/as superdotados/as para a mesma). Mas se me dá uma fúria, então o caso muda de figura... (vide exemplo anexo) (lol!)