quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Reflexões em jeito de máximas…

• O cabelo flutua como pena, quando preso à raiz; se arrancado e solto, afunda-se como metal.

• Na Arte, revela-se uma estética decorrente de um gosto; numa certa concepção de arte, assume-se um gasto sancionado por nenhuma ética.

• São normais as conveniências humanas, mas são naturais as conveniências de certas maiorias.

• É coerente porque é estúpido; ou é estúpido porque é coerente.

• Na vida, tudo são hábitos: uns virtuosos, outros viciosos; convirá porventura manter ambas as partes em equilíbrio.



O espaço e o tempo ideais para reflectir…

• Hair floats as a feather when attached to its root; if pulled out and loose, it sinks as metal.

• In Art, aesthetics is disclosed according to a taste; in a certain conception of art, an expense is carried out, sanctioned by no ethics.

• Human conveniences are normal, but the conveniences of certain majorities are natural.

• He's consistent because he's stupid; or he's stupid because he's consistent.

• In life, everything's habits: some virtuous, other vicious; it's somehow convenient to keep both parts in balance.

RIC

16 comentários:

Ricardo disse...

Meu lindo, está filosófico hoje, hein!!

Interessante essa do cabelo! Não tinha me aparcebido disso!

E meu fofo, como está a ser arranjar com as mudanças da lingua?

Beijão!

RIC disse...

Olá meu caro Ricardo!
Há sempre um «tempinho» para tudo, se nós fizermos por isso, não é? A Filosofia, mesmo que não seja muito profunda e sistemática, também merece ser bem tratada.
Que mudanças da língua? Não sei de nada! A não ser dos maus tratos de sempre, mas a esses vou-me habituando... Que remédio...
Quanto à minha, faço sobretudo por enriquecê-la.
Tudo de bom para vocês!
Abrações e beijões! :-)

GMaciel disse...

"Quanto à minha, faço sobretudo por enriquecê-la."

Peço desculpa pela transcrição, mas não resisti. É mais do que óbvio que o fazes, Ric, mas é excelente que o digas. Quem sabe, outros sigam o teu exemplo e enriqueçam a sua fluência na língua mátria. Como disse Voltaire, "aprender uma língua estrangeira é questão de um ano ou dois, ser eloquente na sua é questão de uma vida."

E por reflexões ou máximas, deixo-te esta, de Confúcio:

"Saber o que está certo e não o fazer é a pior cobardia."

jocas grandes

Bernardo Moura disse...

Excelente!
Belas palavras!
Bela música!
Abraço
:)

RIC disse...

Olá querida Graça!
Quer-me parecer que vai haver mais éditos como este... É a minha oportunidade de aprender mais um bom bocado daquilo que sendo óbvio muitas vezes passa despercebido...
Aqui não tens de pedir desculpa por coisa nenhuma! Quanto a dizer o que tento fazer todos os dias, parece-me apenas natural e honesto... Muito obrigado!
Interessam-me muito ambas as máximas, aliás, sou um coleccionador, e só há pouco tempo achei que podia «espremer» uns textos meus (que eram da treta...) e dar a forma de máxima ao produto final. Nuns casos, resultou, noutros, nem por isso...
E com a de Confúcio, o epíteto «coberde» cai em cheio em cima de muita gente... E mais não digo...
Beijinhos em língua mátria! Rsrs!
:-)

RIC disse...

Olá Bernardo!
Ora ainda bem que ficaste agradado! Fico contente! Obrigado!
Pois é, Mozart é mágico e Maria João Pires também!
Um abraço! :-)

Shadow disse...

Gosto de citações/máximas. Fazem
reflectir ...e isso agrada-me! Como dizia Aristóteles:" O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflecte".
Com a tua permissão «levo» a primeira e a terceira.

Bom fim-de-semana.
Beijinho :-)

RIC disse...

Olá querida Susana!
Mais uma bela lição vinda da Grécia Antiga! Não há dúvida que os Gregos «disseram tudo»...
«Levas» o que quiseres, minha cara! Não tenciono reclamar direitos de autor! Rsrsrs! Até porque muitos já disseram o mesmo, não é verdade?...
Bom fim-de-semana para ti também!
Beijinho! :-)

GMaciel disse...

Bom, e aqui volto por causa da tua colecção. Estive a fazer uma pequena resenha de algumas máximas que considero interessantes e aqui tas deixo. Espero que gostes, cá vão:

"Um grama de acção vale uma tonelada de teoria" / Friedrich Engels

"Não deve permitir que os mitos de ontem sejam um obstáculo quando se ocupar das necessidades de hoje." / Harold Geneen

"Sempre considerei as acções dos homens como as melhores intérpretes dos seus pensamentos." / John Locke

"Há apenas duas formas de subir na vida: pelo nosso engenho ou pela estupidez dos outros." Jean de La Bruyère

"A ambição leva muitas vezes os homens aos cargos mais vis; é por isso que o acto de subir é feito na mesma posição que o de rastejar." / Jonathan Swift

"Todos somos diferentes naquilo que sabemos, mas na nossa infinita ignorância somos todos iguais." / Sir Karl Popper

"No sistema capitalista, o homem explora o homem. No sistema comunista é simplesmente o oposto." / J.K. Galbraith

"Nenhum de nós é tão inteligente como todos nós." / anónimo

E acho que já chegam, não??? Grande seca! :))

Jocas grandes

RIC disse...

Olá Graça!
Não é seca absolutamente nenhuma! Muitíssimo obrigado! E agradeço-te também porque o mais provável será não chegar a ler certos autores pelas mais diversas razões, e as colecções existentes nem sempre serem fidedignas... E assim, a minha colecção vai crescendo!
... Como Jonathan Swift tinha uma preclaríssima visão!...
(Na minha resposta anterior, onde se lê «coberde» (!), leia-se «cobarde», obviamente! Rsrs!)
Beijinhos! :-)

Special K disse...

Belas máximas, gostei. Isto por aqui é mesmo uma caixinha de surpresas.
Um abraço.

RIC disse...

Olá caro Paulo!
Rsrsrs! Tem dias, meu caro, tem dias... A «originalidade» tem custos elevados e carece de alguns estímulos exteriores... Mas não me queixo, garanto! Muito pelo contrário! Só que a disposição geral nem sempre ajuda a estes «arroubos»!...
Ainda bem que gostaste! Obrigado!
Um abraço para ti também! :-)

GMaciel disse...

Ric, numa voltinha por aí, mais exactamente no A Perfect Sonnet, descobri esta citação que achei acima de qualquer adjectivo:


"A Pornografia não está nas mãos da criança que descobre a sexualidade masturbando-se, mas nas mãos do adulto que a esbofeteia"
Bernardo Bertolucci

Mais contundente do que isto, nem imagino!

RIC disse...

... Ah, mas absolutamente! Só uma mente claramente iluminada numa Itália mantida meio às escuras por tudo o que bem sabemos é que chegaria a uma síntese lapidar de uma atitude adulta que tem tanto de estupidamente irreflectida quanto tem de perniciosa, culpabilizadora e castradora!
De génio! Ah o «Novecento»!...
Muito obrigado! :-)

GMaciel disse...

Ric, honestamente, eu não quero esgotar a tua paciência, mas apanhei esta "não-exactamente" máxima n' O Reino dos Fins e não resisti a copiar-ta para aqui.

"A laicidade ou secularidade do Estado é um real ganho da história e da civilização. Mas, se daqui partirmos [...] para concluir que não lhe deve dar condições de autodesenvolvimento e concretização comunitária, então estamos diante duma laicidade negativa, também designada por laicismo ou secularismo.


D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, através d'O Demente "

Se puderes e quiseres vai ler o resto à fonte para te rires um bocado como eu ri. Está na minha coluna de imperdíveis e é dum amigo meu muito querido - desculpa mas não sei colocar o link directamente, essa é outra que tenho de aprender quando para aí estiver voltada.

:)

RIC disse...

Muito obrigado, mais uma vez! E como esgotarias a minha paciência?! Não vejo!...
Vou ler, sim, logo que outras «diligências» me desobriguem.
Beijinho! :-)