quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Ponto de ordem

«Soyez donc résolus à ne plus servir et vous serez libres.»
«Decidi-vos a não servir mais e sereis livres.»
Étienne de La Boétie

«If you've had enough, don't put up with his stuff, don't you do it.
If you've had your fill, get the check, pay the bill, you can do it.
Tell him to just get out.
Nothing left to talk about.
Pack his raincoat, show him out.
Just look him in the eye and simply shout.
"Enough is enough!"
I want him out,
I want him out that door now.
"Enough is enough!
Goodbye mister!"»



Da verdade existem tantas facetas quantas as bocas que dizem proferi-la, uma óbvia evidência que, ainda assim, passa despercebida a muitos que se consideram e dizem atentos.

Desde que, em Julho do ano passado, criei este blogue, ele tem sido um espaço de liberdade para mim e para todos aqueles que por aqui têm passado. Uns estiveram apenas de passagem, outros chegaram e ficaram, outros ainda estiveram e partiram. E é assim que deve ser, na minha opinião.

Contar-se-ão pelos dedos de uma mão aqueles com quem estabeleci qualquer outro tipo de contacto que não o que ocorre nesta página e na de comentários, a que sempre fiz, faço e farei questão de responder.

Não busquei, não busco nem buscarei qualquer outro tipo de relacionamento com os bloguistas que têm vindo a integrar a lista de contactos (blogroll) da barra lateral, ela própria reflexo das mudanças inerentes a tudo o que depende da livre vontade de cada um.

A invocação da amizade por dá cá aquela palha não me diz rigorosamente nada. As amizades constroem-se a partir de duas bases; não surgem do nada por obra e graça do espírito santo, ou apenas porque a palavra é utilizada num sentido performativo que, obviamente, não tem.

Nunca fiz, não faço nem jamais farei parte da corte de ninguém. Nem na realidade real, nem aqui, na realidade dita virtual. Afirmo claramente no meu perfil que sou um outsider, um marginal assumido, no tocante a espíritos de capelinha, a joguinhos de poder, a clubes de fãs mais ou menos fidelizados, a estratégias infantis de reinação.

Nada disso me interessa. Nunca me interessou.

Prezo a minha liberdade acima de tudo e reservo-me todo o direito de comentar o que eu quero, onde eu quero, como eu quero e quando eu quero.

Não tomo lições de absolutamente ninguém no que a esta minha forma de estar na blogosfera diz respeito. De igual modo, prezo a liberdade dos outros e, por isso, entendo que cada um comenta – ou não – aquilo que muitíssimo bem entende e lhe apetece comentar. Não faço disso qualquer questão e não vou por isso nem elogiar nem perseguir seja quem for. Com quase meio século de vida, já tenho muito boa idade para ter algum juízo. E sensatez. E discernimento.

Exijo, isso sim, ser absolutamente respeitado por quem quer que aqui chegue e queira fazer parte deste pequeno grupo de convívio. Já o disse várias vezes e parece-me que nunca será demais repeti-lo, sobretudo – e lamentavelmente – no que concerne o sector luso da blogosfera: a pedra de toque de todo o relacionamento humano é o respeito. Quem o quer para si tem de o dar. Não há nenhum outro caminho. Não há quaisquer toleranciazinhas que mascarem esta evidência.

Durante alguns meses após a sua criação, este blogue permaneceu ausente do circuito nacional. Depois, por circunstâncias várias, acabou por nele entrar. No cômputo geral, tem sido uma agradável e recompensadora experiência. Porém, não me sinto – nem estou! – de todo amarrado a coisíssima nenhuma. Se considerar que deverei regressar ao modelo inicial, fá-lo-ei sem quaisquer hesitações.

Não serei aqui refém de nada nem de ninguém. E não voltarei a este assunto. Considero-o um desperdício de tempo e de energia.

Estejam todos, pois, muitíssimo à vontade para chegar, para ficar e também para partir.

A vontade de cada um de vós é soberana. A minha também.

A liberdade tanto é vossa quanto é minha.

Disponham sempre!

RIC

27 comentários:

disse...

Ric, meu amigo alfacinha,

preciso confessar que, apesar de ter uma idéia do que pode ter acontecido para desencadear este post, ainda estou meio perdido. Na verdade, li o texto duas vezes e ainda me sinto meio perdido. Para falar outra verdade, estou sem saber o que falar. rs

Infelizmente alguma pessoas precisam de sequazes para satisfazer o seu ego...

Sabe, eu estou nessa blogsfera há um tempinho já e neste meio tempo percebi algo que me incomoda muito, que é essa política de "comenta-no-meu-que-eu-comento-[qualquer-coisa]-no-seu". Claro que é de se supor que pessoas com afinidades tendem a comentar nos blogs uns dos outros. Mas encontramos muitas pessoas por aí que querem apenas mais um comentário e vêm a nossos blogs com comentários do tipo: "Oi legal o seu blog! Muito show o que você escreveu! Você é uma figura! Passa lá no meu blog E COMENTA."

Putz! Tem nada mais frustrante pra mim do que achar um comentário deste tipo. Comentários de pessoas que escrevem qualquer besteira só para ter mais um comentário em retribuição.

Não estou falando que não seja gostoso ver um post seu comentado. Eu gosto muito! Mas quando não dá, paciência. Mas ainda assim eu prefito mil vezes um post não-comentado a um post com um comentário banal desse tipo. Hehehehehe

Espero que fique tudo certo! E espero, de verdade, que quando Ricardo e eu formos à Corte ter com S.M. que você nos apresente a Lisboa!!! Não vem com essa de mundo virtual, não, hein! Hehehehe

Beijão!
=)

r.porter disse...

Ric,
tal como o endereço do meu blog mar, sol, paz e liberdade têm de me acompanhar.
Sabes o que penso da política do comentário e não vou mudar mesmo que assista a amuos.
Só quero viver e deixar viver em paz.

Ricardo disse...

Jesus...

Ric, meu lindo, tenho que admitir que fiquei quase sem fôlego quando li esse post! Não preciso dizer que a curiosidade sobre o assunto surtou em minha mente! Hehehehh!

Mas tem coisas que são melhores se ficarem como estão!

Espero que o motivo de seu aborrecimento logo se acabe! Ou seja, que essa pessoa, quem quer que seja, se manque!

Beijão!

RIC disse...

Olá meu querido Lê!
Em primeiríssimo lugar quero deixar bem claro que o conteúdo deste édito nada tem que ver com o sector brasileiro da blogosfera! De todo!
Desde os primeiros dias deste blogue que só tenho tido alegrias com a «torcida canarinha»! O mesmo pudesse eu dizer do sector luso!...
Assim, meu caro Lê, fica tranquilo! É exactamente o que dizes nas duas linhas do 2.º parágrafo que ESTAVA a acontecer, mas acabou! Em mim, ninguém manda! Nem os meus pais, enquanto vivos, me desrespeitaram, quanto mais um qualquer pobre sedento de poder ignóbil! Era o que mais me faltava!
Como qualquer outro bloguista, gosto muito de comentários, é claro, para depois dar uma resposta e estabelecer um relacionamento individual. Mas não a qualquer preço! Jamais! E quem não gostar, tem muito bom remédio: põe-se a milhas e já!
Quanto a vocês - Leandro e Ricardo -, a vossa presença aqui é sempre bem-vinda e, quando vierem visitar o Reino, podem estar certos de que eu serei tão real quanto é certo Lisboa estar aqui, neste cantinho da Europa, à vossa espera!
Muito obrigado!
Abração e beijão alfacinhas! :-)

RIC disse...

Olá Yo!
Pois é... «Quando o copo está cheio e já não dá mais para engolir», canta Bethânia.
Eu também me fartei de me fazer imbecil e de deixar correr o marfim! Estamos a meio de Setembro: é tempo de limpar e arrumar a casa. E quem não está bem, mude-se! Este espaço é MEU, farei dele o que muito bem entender, livre de pressões e de coscuvilhices que nada têm que ver comigo, como bem sabes!
O meu lema, aqui, é esse mesmo: viver e deixar viver em PAZ!
Um beijinho terno! :-)

RIC disse...

Olá meu querido Ricardo!
A minha resposta ao Lê diz praticamente tudo. Quanto ao indivíduo, já «se mancou» e também já foi expulso. Não admito reizinhos tirânicos à minha volta, dando palpites sobre o que eu penso, o que eu escrevo, o que eu comento, o que eu respondo, se sou ou deixo de ser intelectual ou professoral... Estou-me nas tintas para essas atitudes censórias. Quem não gosta de como eu sou, tem bom remédio: a porta da rua é a serventia da casa.
Sempre privilegiei a qualidade e não a quantidade. Se o meu «blogroll» tiver de ficar reduzido a uma dúzia de nomes, ficará! E fá-lo-ei enquanto o diabo esfrega um olho! Como se diz por aqui, eu também sei ser enxertado em corno de cabra! Os meus bons modos só são válidos para quem os merece.
O sector brasileiro - como já leste - está fora desta questiúncula de m*rda!
Para ti, meu caro, um abração e um beijão alfacinhas! :-)

Bernardo Moura disse...

Revejo-me totalmente no que dizes.
Grande abraço!

RIC disse...

Olá Bernardo!
Muito obrigado pela solidariedade! É boa, sabe bem, e eu aprecio o gesto!
Grande abraço para ti também, meu caro! :-)

Shadow disse...

Em determinadas alturas é necessário fazer um ponto de ordem para vivermos tranquilamente no nosso canto. Hoje também fiz umas «arrumações» pelos lados do B.W.Já ia sendo tempo...
Algumas das quais vão de encontro ao que dizes neste édito.
Agora... é altura de seguir em frente.

Beijinhos :-)

RIC disse...

Olá querida Susana!
As tuas arrumações, acabo de comentá-las.
Como muito bem disse a Yo, também eu só quero viver e deixar viver em PAZ. Se alguém tiver alguma coisa a apontar-me, que o faça: cá estarei para me defender e, se for o caso, para facil e humildemente pedir desculpa. Mas de mentiras, má-fé e intrigas estou farto! Não faço qualquer tipo de proselitismo nem ando a angariar adeptos para nenhuma causa. Muito menos me sirvo da máxima salazarenta de que «quem não é por mim é contra mim». Era o que mais faltava!
Tal como dizes, agora é tempo de seguir em frente. Assunto encerrado. «Enough is enough»!
Obrigado pelo teu apoio e pela tua solidariedade! É boa e eu gosto muito!
Beijinho! :-)

Special K disse...

E está tudo dito. Um blogue é uma coisa pessoal e mais ninguém tem nada a ver com isso. Quando não gosto de um sítio simplesmente deixo de passar por lá.
Os meus também estão a precisar de uma limpeza.
Um abraço.

Catatau disse...

Gostei do manifesto. A liberdade de todos, não colidida, é uma das riquezas que mais prezo.
Sempre te vi assim, embora perceba que a auto-censura também te assalte.
Gostei da análise em torno da amizade. Ela só pode ser assumida assim - senão não vale a pena e é uma fraude.
Deixa-te estar que estás bem. ;)

Víctor disse...

Hum! Tão Régio!...
Sabes que não vais por ali!

Abraço

Professor Benjamin Levi Marks disse...

http://romancedenegocios.blogspot.com/2007/07/literary-web-site-for-portuguese.html


stumbled upon that link.

Palavras e co-lirius disse...

Meu caro Ric,

Tal como disse o LÊ, eu estou sem palavras...e ainda não sei o que dizer. Espero que não ache que direi uma besteira, mas mesmo assim arrisco-me escrever. Acho que já falei do meu gosto em voltar aqui e isso não é novidade. Contudo, às vezes não me sinto por inteiro à vontade em postar comentário. Gosto muito de teus textos escritos em minha língua, até porque só tenho fluência nela e na espanhola. Em inglês leio pouco.
Não concordo contigo quando disseste que a relação na blogosfera não passará da blogosfera. Quando um dia vier a conhecer Portugal, saibas que uma das pessoas que manterei em mente serás tu, tu(além de outras pessoas inteligentes que aí vivem)Digo isso porque foi o teu blog, o teu blog!, os teus textos, as tuas idéias, as tuas palavras que me fizeram voltar uma, duas, três...varias vezes aqui. Nesse sentido, sem nenhum outro interesse, exceto acerca do blog, gostaria sim de conhecer-te num mundo real além do virtual. Sendo assim, o tempo engarregar-se-á de cuidar dos trâmites. Imagino que o fator que te levou a escrever este post não tenha sido nada tolerável. Então percebo tua notável "tensão".

Fica bem, meu "amigo virtual blogosférico".

Leo Carioca disse...

Oi, Ric!
Bom, deu pra entender que não foi nenhum brasileiro que incomodou você, não é? Aliás, pelas suas respostas aos comentários acima, deu pra ver que você fez bons amigos virtuais do lado de cá do Atlântico. Espero que eu esteja entre esses.rs
Bom, uma coisa que não posso deixar de comentar é que concordo com você num ponto muito básico: também gosto muito que comentem no meu blog, mas não a qualquer preço. Se o visitante quer entrar no blog só pra ler os posts, ver as figuras e sair tão calado quanto como entrou, é um direito dele, né?
Bom, até mais. Abração!

Palavras e co-lirius disse...

Ah, e mais: discordei apenas daquele ponto. O restante concordo por inteiro. Preserve-se a liberdade. Aqui no Brasil, usa-se a seguinte expressão na bandeira do estado de MInas Gerais: "Libertas Quae Será Tamen". E nela eu acredito.
Abraço.

dondon009 disse...

I'm not certain when the time is right to say, "enough is enough"!

Sometimes, we wait much too long, hoping things might someday change... but in actuality, they seldom do.

I remember a time when I had enough... after telling him "enough is enough", I thought I would feel sad and defeated and I hate to admit defeat.

I visited a friend and when he asked how I felt about the breakup, I told him I felt like all the problems in the world had been lifted off my shoulders; instead of feeling defeat, it was liberating!

Have a great weekend~

DON

Catatau disse...

E agora já percebi a razão do post. Nada a comentar. Embora fique triste. Eu dou sempre uma segunda oportunidade. A terceira já não.
Tudo como dantes, quartel general em Abrantes.
Um abraço.

RIC disse...

A TODOS

Por motivos completamente alheios à minha vontade, este édito permaneceu em posição estática destacada por muito mais tempo do que foi minha intenção ao redigi-lo.
Pelo inconveniente, as minhas desculpas!

Para todos, um abraço! :-)

RIC disse...

Olá Paulo!
Entretanto o tempo passou, e este assunto não me merece nem mais uma palavra.
Como bem dizes, quem não está bem, muda-se.
Um abraço! :-)

RIC disse...

Olá João!
Curiosamente, «manifesto» foi um título em calha até ao último instante, mas cabei por preferir «ponto de ordem».
Tens razão quando dizes que a auto-censura também me tem assaltado. Felizmente, nunca ao ponto de, por algum desejo de «agradar», ter camuflado convicções ou gostos meus. «What you see is what you get»! E depois disto, ainda mais!
Podes estar certo, assim ficarei!
Quanto a segundas oportunidades - e sem entrar em pormenores desnecessários -, dir-te-ei apenas que houve várias.
É triste, sim, é lamentável, mas é também inevitável.
Um abraço para ti também! :-)
Uma excelente semana!

RIC disse...

Olá Victor!
É curioso que refiras Régio e o «Cântico Negro»: já em tempos me «servi» dele aqui num contexto semelhante. Parece que de vez em quando há que aparar a relva...
Sê bem-vindo!
Abraço! :-)

RIC disse...

Hello dear Will!
I'll check it out later. Thanks!
Greetings! :-)

RIC disse...

Olá Nilson!
Compreendo a tua discordância por inteiro! Esse parágrafo talvez careça de um esclarecimento: enquanto nos relacionamos nesta base, exclusivamente, não há qualquer fundamento para «apregoar» amizades; há, porventura, afinidades que nos vão aproximando e que poderão levar-nos a querer conhecer a pessoa «ao vivo e a cores». Assim, é evidente para mim que, caso venhas a Portugal, terei o maior gosto em te conhecer! E nunca descartaria essa hipótese/chance! Não sou misantropo (embora às vezes me apeteça...)!
Portanto, meu caro Nilson, creio que agora estamos esclarecidos! E - repito! - não há qualquer razão para que não estejas à vontade para comentar, salvo a questão linguística, bem entendido. Aqui, a liberdade é de todos. Igualmente!
Um abraço para ti e obrigado pela tua franqueza! :-)

RIC disse...

Olá Leo!
Não, meu caro, desde Julho de 2006 que a «torcida canarinha» tem sido sempre impecável! Quanto a ti, bem, qualquer dúvida tua é «gozação»! Rsrsrs!
Inteiramente de acordo com o teu comentário: chegar, ler e partir em silêncio é um óbvio direito de qualquer um na blogosfera! Eu próprio faço isso com frequência e não me considero por isso bandido ou traidor! Rsrsrs!
Um abração para ti também! :-)

RIC disse...

Hello dear Don!
I believe no one is ever sure when to say «enough is enough». But a time does come when the unbearable becomes clearly unbearable! When there's no other way around...
I dislike changes very much, but the truth is many times they're really unavoydable. So it makes no sense anymore swimming against the stream...
Only the truth is liberating. Even if the liberation process may hurt a bit at first... «C'est la vie.» There's nothing one can do against it...
Thanks a lot for your effort in understanding this text!
I hope you had a great weekend! Mine was okay.
I wish you a fine week, dear Don!
:-)