sábado, 11 de agosto de 2007

«Grito de Alerta»


Primeiro você me azucrina, me entorta a cabeça
Me bota na boca um gosto amargo de fel
Depois vem chorando desculpas, assim meio pedindo
Querendo ganhar um bocado de mel

Não vê que então eu me rasgo
Engasgo, engulo, reflicto, estendo a mão
E assim nossa vida é um rio secando
As pedras cortando, e eu vou perguntando: até quando?

São tantas coisinhas miúdas, roendo, comendo
Arrasando aos poucos com o nosso ideal
São frases perdidas num mundo de gritos e gestos
Num jogo de culpa que faz tanto mal.

Não quero a razão pois eu sei o quanto estou errada
O quanto já fiz destruir
Só sinto no ar o momento em que o copo está cheio
E que já não dá mais pra engolir

Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta
Eu busquei a palavra mais certa
Vê se entende o meu grito de alerta

Veja bem, é o amor agitando meu coração
Há um lado carente dizendo que sim
E essa vida da gente gritando que não.

Luís Gonzaga Júnior
(Gonzaguinha)

Já era mais que tempo de trazer aqui esta grande Rainha da MPB, admirada por mim desde os idos de setenta, quando o seu talento e magia vocal cruzaram «Tanto Mar/Mar de Sophia» e me deixaram maravilhado com canções e interpretações… «Grito de Alerta» foi uma delas, uma canção que ainda hoje significa muito para mim…
Já para não falar da especial atenção que Maria Bethânia veio depois a dedicar a Fernando Pessoa e a Sophia de Mello Breyner Andresen.
Muitas palmas para a grande cantora e intérprete!

RIC

14 comentários:

lampejo disse...

Eu sou suspeito, pois sou um romântico sentimentalista incurável, mas músicas com letras como está, tocam-me os sentimentos...
Abraço!

RIC disse...

Olá Lampejo!
... Pois é, como vês não és caso único... Há mais quem levante voo com canções como esta...
E continua a ter o mesmo impacto sobre mim que teve quando a ouvi pela primeira vez! Há canções assim: vieram para ficar!
Um abraço! :-)

Bernardo Moura disse...

Muito obrigado!
Nem imaginas como me soube bem ouvir esta música!
Abraço

Shadow disse...

«Clap..clap..clap»!
Também eu admiro muito Maria Bethânia. Obrigada!
Estava a ouvir Caetano, «sozinho», mas ia chegar rapidamente a M.B.,«perfil»...

...Hoje estou assim,«down»...!

Bom domingo.
Beijinho!:-)

RIC disse...

Olá, meu bom Bernardo!
... E tu não imaginas a alegria que me deste com as tuas palavras!...
Não tens de quê! O prazer é todo meu!
Bom fim-de-semana!
Um abraço! :-)

RIC disse...

Olá, minha querida Carla!
Estou a ouvir as palmas e fico muito feliz pela Bethânia! Não tens de quê!
Pois é, mais uma semana que passou num ápice... E o fim-de-semana vai pelo mesmo caminho... Não admira que de vez em quando fiquemos «down»... Vê se arranjas um programinha jeitoso para amanhã! É sempre uma boa ajuda.
Bom domingo para ti também!
Beijinho! :-)

pinguim disse...

Bethânia já entrou no reino dos "mitos", meu caro Ric. Podem ir aparecendo, e aparecem, novos nomes muito agradáviis de ouvir e seguir no mundo musical brasileiro, mas vozes como esta, do seu irmão Caetano, da Elis, do Xico são as que marcarão sempre a melhor música brasileira de sempre.
Maria Bethânia é a diva, que não envelhece e nos reencanta a todo o momento.
Abraço.

RIC disse...

Olá João C.!
Para ser sincero, interessam-me menos os aspectos «míticos» ligados aos seres humanos do que a perenidade possível que as suas obras possam alcançar, essa sim, a única «vitória» sobre a morte.
E que Maria Bethânia, como todos, envelhece também, está bem visível - e ainda bem! - na foto que escolhi. Não vou em «eternas juventudes»...
Bom domingo!
Um abraço! :-)

Leo Carioca disse...

É inclusive curioso que ela seja tão popular: a Maria Bethânia é uma das artistas brasileiras mais arredias a entrevistas e publicidade que existem. Só mesmo o grande talento e capacidade de interpretar dela justificam os fãs que ela sempre mantém. É incrível!

RIC disse...

Olá Leo!
... Mais umas quantas provas de que Bethânia se mantém sobretudo fiel a si própria, sem nunca ter embarcado em compromissos - hoje tão comuns nas carreiras de tantos - que pudessem desvirtuar a sua caminhada.
Eu adoro toda esta geração de fabulosos cantoras e cantores e compositores e poetas e poetisas que o Brasil ofereceu (e continua a oferecer!) ao mundo! Muito obrigado!
Um abraço! :-)

Special K disse...

Bethânia é daquelas vozes que nos tocam logo á primeira audição. É por isto que tanto amo a música:
Gosto de sentir os sons, as palavras, a voz e a alma de um cantor(a).
Um abraço.

RIC disse...

Olá Paulinho!
O diminutivo é aqui e agora uma forma de te agradecer pela forma concisa e certeira de «definires» a (também) minha Arte Maior. O canto e a poesia são autónomos, mas para mim a Música é soberana. Sempre foi!
Bethânia é, por assim dizer, parte de mim e da minha vida: não haverá canção dela sem ligações fortes e perenes nas minhas recordações...
Um abraço amigo! :-)

Palavras e co-lirius disse...

Ainda hoje me pus a ouvir, M.Bethania! Nem precisamos elogiar sua voz nem sua interpretação. Adoro-a! Que coincidência!
Abração.
Nilson

RIC disse...

Olá Nilson!
Sê bem aparecido! E o pretexto não poderia ser melhor! Gostar da grande Bethânia é sem dúvida um privilégio! Ainda bem que há esta coincidência entre nós!
«Abração pra vc também!»
:-)