terça-feira, 25 de julho de 2006

Le Questionnaire de Proust...

There are definitely many ways for you to let others know more about you. Though I've already told about myself much more than I've never dreamt I ever would - sorry! - mainly through a considerable amount of comments I've been posting here and there, I'm quite aware there are still «sides in the shade»...
Not knowing exactly where and how to start with, Proust's questionnaire came to my mind as a possibility among many others as valid as a presentation text (far too formal), a photo (both too revealing and too reductive) or a short autobiography (ridiculously pompous...).
Whoever comes to feel the urge of asking - I know what curiosity is - please, feel free to ask! Only answers may be indiscreet. I'll post it in Portuguese though as I know many of you read French, Italian or Spanish easily. It's high time for the Portuguese language to stop indulging itself as «one of the most difficult languages». If spoken, I may agree. But if written, it's a whole different matter.


- O meu principal traço de carácter. - Racionalismo exacerbado.

- A qualidade que prefiro num homem. - Sensibilidade e inteligência combinadas.

- A qualidade que prefiro numa mulher. - Compreensão e polivalência juntas.

- O que mais aprecio nos meus amigos. - Generosidade.

- O meu maior defeito. - Auto-suficiência aparente.

- A minha melhor qualidade. - Espírito crítico.

- A minha ocupação favorita. - Leitura.

- O meu sonho de felicidade. - Gostar sempre do que for fazendo ao longo da vida.

- A minha maior infelicidade. - A morte de próximos.

- O que eu gostaria de ter sido. - Um excelente pianista.

- O país onde gostaria de viver. - Países Baixos.

- A minha comida e bebida favoritas. - Carne assada e café.

- A minha cor favorita. - Vermelho.

- A flor que adoro. - Rosa.

- A minha ave favorita. - Cisne.

- Os meus prosadores favoritos. - Thomas Mann, Yourcenar, Saramago...

- O meu poeta favorito. - Fernando Pessoa.

- O meu filme favorito. - «Out Of Africa».

- Os meus poemas favoritos. - Ilíada, Odisseia, Eneida, Os Lusíadas.

- Os meus romances favoritos. - «Mémoires d'Hadrien», «O Ano da Morte de Ricardo Reis».

- O meu herói de ficção. - Ulisses.

- A minha heroína de ficção. - Dido.

- O meu compositor favorito. - Wolfgang Amadeus Mozart.

- A minha peça musical favorita. - Missa de Requiem (Mozart e Fauré).

- Os meus pintores favoritos. - Rembrandt van Rijn e Vincent van Gogh.

- O meu herói da História. - Alexandre, o Grande.

- Os meus heróis da vida real. - Che Guevara e Nelson Mandela.

- A minha heroína da vida real. - Madre Teresa de Calcutá.

- As minhas heroínas da História. - Todas as que dignificaram a condição feminina.

- Os meus nomes favoritos. - Mariana e Pedro.

- As mais belas cidades. - Lisboa e Paris.

- O que eu detesto acima de tudo. - A estultícia gratuita.

- Os caracteres históricos que mais desprezo. - Hitler, Estaline, Mussolini, Salazar, Franco, Pinochet...

- O facto histórico que mais aprecio. - O derrube de ditaduras.

- O facto histórico que mais desprezo. - As invasões militares.

- O facto militar que mais aprecio. - A Revolução dos Cravos de Abril de 1974.

- O valor que mais prezo. - Respeito.

- A mudança que mais aprecio. - Toda aquela que resulta da ponderação e melhora a vida.

- O dom da natureza que eu queria ter. - «Sentir tudo de todas as maneiras».

- O mais belo facto da natureza. - O pôr-do-sol.

- O mais belo facto da cultura. - A criação de beleza.

- Como gostaria de morrer. - Com saúde, a dormir.

- Estado de espírito actual. - Expectante.

- Erros que me inspiram mais indulgência. - Os resultantes da ignorância genuína.

- A minha divisa. - «Aprender até morrer.»

- O que em faz levantar todos os dias de manhã. - A certeza de que tenho ainda algo mais a fazer na vida.

- A última vez que ri a bom rir. - Há pouco ainda e sempre que o interlocutor é inteligentemente espirituoso.

- A última vez que chorei. - Há pouco ainda também, ao ler, ouvir música ou ver cinema.

- A minha viagem favorita. - A Paris.

- A canção que gosto de cantarolar no duche. - A que se me afigura promissora para o dia.

- O meu maior sucesso. - A capacidade de aprender línguas. E outras...

- A ocasião em que minto. - Quando me sinto limitado e frustrado com as minhas imperfeições.

- O meu epitáfio. - «Aqui jaz um perfeccionista que levou vida imperfeita.»

- O que mais lamento. - A morte dos que mais amei.

- O meu maior receio. - Perder as capacidades mentais e/ou cegar.

Done! I hope you've enjoyed this piece of reading. Easy, wasn't it?... Carpe diem noctemque...

6 comentários:

Minge disse...

Lordy!

RIC disse...

... Thanks for your kind support! The intention was a good one, but the idea was definitely clumsy.

castor disse...

It's a shame, but I've never heard about "Le Questionnaire de Proust"! Danke für den Hinweis! Le tue risposte sono molto interessanti, abbiamo molto in comune!

RIC disse...

Grazie mille, Castor! Ti ringrazio dal cuore per essere venuto. Heute war leider kein besonders schöner Tag für mich. Sowieso ist der aber auch schon vorbei. Also nur weiter!
Vielen Dank! :-)

alessandro disse...

Please do not make me think and try to parse this out at this hour of the night. I speak 0 Portuguese and while I recognize some of it, it is only a very little bit. perhaps I shall try later when I am more awake :)

Gumby disse...

Mi piace molto Van Gogh anche!