quarta-feira, 15 de agosto de 2007

«E por vezes»…

Τα πάντα ρει, ουδέν μένει.
Tudo flui, nada permanece.
- Heraclito de Éfeso













E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se evolam tantos anos.














David Mourão-Ferreira


A caminho –
pelas vagas de silêncio
nesta praia.

Ante o mar
– mar pretérito,
mar presente,
mar sem tempo –
repouso o olhar
ao de leve
sobre a verde serenidade
deste secreto
entendimento.

Intensa
a Luz de sempre
refulge na vívida certeza
– Amizade.

RIC

18 comentários:

Leo Carioca disse...

Hum! Muito bonito!

RIC disse...

Olá Leo!
Ainda bem que te agradou!...
Abração! :-)

Shadow disse...

Belo momento de poesia. Obrigada!
David Mourão-Ferreira... que maravilha!
A amizade, pois...
...e como estamos numa «onda»`de poesia e de (elogio à) amizade, cá vai:
"Os amigos amei
despido de ternura fatigada;
uns iam,
outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar a sede de alegria
- por mais amarga.

Eugénio de Andrade.

Bom feriado!
Beijinhos :-)

RIC disse...

Olá querida Carla!
Lamento desiludir-te, mas o segundo «texto» NÃO é de DMF... Pensei que a diferença de tipo fosse suficiente para mostrar a diferença... Pelos vistos, não é...
Só o belíssimo soneto - que Vasco Graça Moura considera um dos melhores sonetos de sempre em Português! - é de DMF.
Muito obrigado por esta pequena festa de poesia! Eugénio de Andrade é muitíssimo bem-vindo, e o poema diz-me muito...
Bom feriado para ti também!
Beijinho! :-)

Shadow disse...

Ops...! Peço imensa desculpa pelo lapso, Ric!
A diferença de tipo, é realmente notória, mas não conhecendo todo o seu trabalho , levou-me a cometer este erro. Não sendo de DMF, é de quem? Teu?... Não ficaria em nada, desiludida...:-)

Beijinhos! :-)

lampejo disse...

Por vezes os momentos duram uma eternidade, bem como a vida, se forem convenientemente saboreados...

Sem dúvida que a amizade é um secreto entendimento, ainda bem que assim é.

Abraço!

Special K disse...

Este soneto do David é lindíssimo e é dos poemas mais famosos dele.
Apesar da diferença de estilo eu também caíria no mesmo erro se não tivesse lido o teu comentário. Se é teu também não me desilude :)
Um abraço.

RIC disse...

Minha querida Carla, NÃO és tu quem tem de pedir desculpa, mas sim eu pela ousadia desatinada de pôr as minhas palavras junto ao soneto de DMF! A verdade é que me apeteceu...
Obrigado por dizeres que não ficaste desiludida! Rsrs!
Beijinho! :-)

RIC disse...

Olá Lampejo!
É uma muito boa perspectiva essa de que a vida, se saboreada, possa ser considerada eterna... Gostei!
É um secreto entendimento com muita cumplicidade à mistura... E ainda bem que é assim, sem dúvida!
Abraço! :-)

RIC disse...

Olá Paulo!
Um crítico literário disse que David Mourão-Ferreira tinha a «oficina versificatória mais bem apetrechada» que ele conhecia. E este soneto é um excelente exemplo disso mesmo! Fabuloso trabalho da palavra!
Obrigado por dizeres que as minhas palavras não te desiludem... Rsrs!
Um abraço agradecido! :-)

pinguim disse...

Meu caro Ric
como já está desvendado o mistério da autoria do segundo poema, resta-me agradecer duplamente por nos teres dado um poema magnífico de David M.F. e outro também muito belo e oportuno da tua autoria.
Abraço.

MrTBear disse...

Só passei de fugida para dar um abraço depois de alguns dias de ausÊncia....
Foi bom reencontrar o amigo David
Obrigado

RIC disse...

Olá João C.!
... Mistério propriamente dito não havia, já que só escrevo RIC a verde no final daquilo que é meu. Mas é verdade que nunca tinha ainda feito isto... Até porque não escrevo poesia. Foi um capricho desatinado...
Ontem tive - mais uma vez... - de concordar com vasco Graça Moura. E sem frete! O soneto é todo ele uma jóia muito bem trabalhada.
Ainda bem que gostaste!
Abraço! :-)

RIC disse...

Olá Sr. Teddy Bear!
Acabaram-se as vacanças, foi?... Ah, o tempo é inclemente para os melhores momentos...
Obrigado pela visitinha e sê bem-vindo no regresso à base! Confesso que já estava com saudades (e já tinha ido espreitar lá a tua casa).
Não tens de quê! Ainda bem que o amigo David estava aqui à tua espera...
Um abraço amigo! :-)

kevin disse...

meu amigo ric
wishing you a good thursday over there in portugal,

kev in nz

RIC disse...

Hello dear Kevin!
Thank you so very much! Have yourself a great Thursday too, «na distante Nova Zelândia»!
Um abraço amigo! :-)

Bernardo Moura disse...

Gostei muito!
Ab

RIC disse...

Olá Bernardo!
Óptimo! Fico contente!
Abraço! :-)