segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

«Os Grandes Portugueses – Os Dez Mais»


Apresento‑vos, com muito orgulho e mais subida honra, a minha lista ordenada:

1. Fernando António Nogueira Pessoa
2. Luís Vaz de Camões
3. Aristides de Sousa Mendes
4. Álvaro Barreirinhas Cunhal
5. Sebastião José de Carvalho e Melo, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal
6. Infante D. Henrique
7. Vasco da Gama
8. D. Afonso Henriques, o Fundador/Conquistador
9. D. João II, o Príncipe Perfeito
10. António de Oliveira Salazar

Discordem, concordem, descubram‑me a careca ideológica, chamem-me literato, intelectual, dado a ordens estabelecidas, o que mais e melhor vos aprouver.
Mas, por favor, discutam este fait‑divers!

Afinal, entre os dez primeiros encontramos aquele que remeti, nesta minha «ordenação», para o décimo lugar (porque – garanto‑vos! – não posso apagá‑lo!); porém, em centésimo lugar – repito: centésimo! – surge Maria João Pires…
Qual de ambos fez mais e melhor pelo País?

Estaremos a um passo de sermos considerados, em definitivo, subsarianos, ou será a alcoolemia que mais ordena?...

[Éditos anteriores recomendados:
Julho 28 – "Maria João Pires, Belgais e Salvador da Baía";
Agosto 9 – "Portuguese Culture in 50 (+50) Topics";
Agosto 10 – "Portuguese Culture in 100 (-50) Topics".]

RIC

50 comentários:

Catatau disse...

Sabes... eu também acho que os nossos grandes portugueses estão todos mortos, ou tratados como hão-de ir.
Acho a tua lista gira. Muito interessante e esclarecedora, he he he. Talvez trocasse o segundo pelo primeiro, por uma questão de reverência primária e canina. Quanto às figuras históricas, talvez trocasse o Afonso pelo lugar do Álvaro (o Aristides está no sítio que eu gosto). Ainda não sei se tirava o Gama e metia o Vieira.
O que eu queria era poder meter mais escritores. Fazer assim uma espécie de Top Ten. Onde é que meto o Torga, O Pires ou o Miguéis, por exemplo?! (Não me digas as sugestões óbvias, rsrsrsrsrs...)

JoeL disse...

I guess these are great Portuguese men?!

RIC disse...

Bem disse eu algures que alguém deveria obrigar~te - ou pagar-te, «sa lá»... - a manter um blogue... :-)
Meu caro João (eu também sou...), nem só de pão vive o homem, não é?
Adoro Camões, mas não posso negar que sou um homem do século XX-XXI; logo, o maior poeta mais próximo de mim é Pessoa. «Period».
Quanto a esta lista, garanto-te que ontem à noite me arrepiei quanto ao que ela poderia incluir. Mas, afinal, foi menos má do que eu temia...
Quanto aos lugares, não faço grande questão de alguns, admito. Mas do último não abro mão! Nem morto! E creio bem que do primeiro também não.
Quanto ao teu primeiro parágrafo, creio perceber o alcance do teu «protesto». Mas se são quase 900 anos em análise, é muito natural que assim seja, não concordarás? Para ser sincero, prefiro os bons mortos aos maus vivos...
Um «top ten» de excelentes escritores é facílimo. Mas não espelha a realidade do país que somos... Digo eu...
Esta história ainda está a crescer. Vamos ver no que vai dar.
Um abraço e, já agora, bem-vindo!
:-)

MrTBear disse...

Parafraseando um homem que detesto particularmente, devo dizer que todos os que estão, merecem cá estar, mas nem todos os que merecem estar, cá estão.
Assim, eu retirava o 3º e 4º para lugares a seguir à dezena e incluía os seguintes:
- Amália Rodrigues - não pelo facto de ser politicamente correcto colocar uma senhora na lista, que eu não alinho nessas tangas, mas porque nos deu alguma dimensão e orgulho em sermos portugueses, principalmente num século tão pobrezinho como o séc. XX.
- Ruy de Carvalho - porque é um SENHOR ACTOR e tem dimensão mundial.

E O MEU ELEITO É:
- Infante D. Henrique, porque tinha um sonho, um projecto, um ideal e fez com que acontecesse;

P.S. Também não abdico do 10º classificado. Não acredito no "orgulhosamente sós", mas acredito nos valores da Pátria e da Familia, sendo que em Deus só acredita quem quer

Gray disse...

How interesting!

1. A poet of some measure.
2. A poet considered equal to Dantes, Cervantes and Shakespeare.
3. You posted on before. In WWII, aided thousands to flee the Nazis by issuing false Portuguese passports.
4. A politician, lawyer and writer (dedicated to the communist ideal) who resisted the "New State" and was known for his romance books and novels.
5. The Marquis of Pigeon House who was Secretary of State for King D. Jose I (who pushed for reforms). Considered a national hero in Portugal but as tyrannous and oppressing in Brazil. Insured that Portuguese was the official language in Brazil.
6. Duke of Viseu (and a Portuguese prince) who is considered the most important figure at the beginning of the Age of Discoveries.
7. Well known explorer who discovered the first passage from Portugal to India (as well as many other countries and cities that became colonies).
8. "The Conqueror." First king of Portugal. Responsible for internal pacification of the kingdom and broadened good relations with the Jews (even making a Jew the minister of finance)!
9. "The Perfect Prince" who became the 13th king of Portugal. Made Portuguese discoveries a national priority - so many discoveries, he may have known of America before Columbus.
10. President of the Council of Ministers and founder and leader of the "New State" whose reforms favored the upperclass while being detrimental to the poorer people. Kept Portugal neutral in WWII but allowed the Allies to have a base in the Azores. He refused aid from the "Marshall Plan" and created a huge growth in the economy of Portugal. He was "Proudly Alone" in his last decade of power.

An amazing list! It was a pleasure researching them all. Thank you, Ric.

/me disse...

Eu colocaria o rei fundador em primeiro lugar. Considero-o o grande herói nacional.

E colocaria o infante D. Henrique em segundo lugar, pelo sonho...

De resto, Álvaro Cunhal não ficaria certamente na minha lista dos 10 primeiros.

Já agora, o Fontes Pereira de Melo apareceu na lista dos 100?

Tongzhi disse...

Não posso estar mais de acordo contigo. Entre os 10 finalistas, Pessoa também seria, para mim, o Grande Português.
Confesso que dei pouca importância ea este evento. Gosto bastante da Maria Elisa mas, desde o início, achei que, com o povo que temos, isto deveria "descambar" para o disparate. Contudo, uma chamada da minha irmã, perfeitamente chocada, fez com que visse os dois programas de Sábado e Domingo.
Infelizmente a "coisa" não andava muito longe do que esperava. Chamar Grande Português a um "moranguito" armado em "mete nojo", levou a temer o pior nos lugares cimeiros. Assim, quando ontem a ME anunciou os 10 primeiros, fiquei muito satisfeito.
Quanto ao António de Oliveira Salazar, pessoa por quem não tenho uma especial simpatia, penso que o distanciamento, a História e uma análise imparcial poderão levar-nos a considerá-lo um Grande Português.

MrTBear disse...

(to Gray)
Hi
I want to add a thing on Vasco of Gamma. It was, in the reality, the first one to arrive at India, by sea. But the work most difficult was made by Bartolomeu Dias. Dias rounded the Cape of Good Hope, then Cape Agulhas the southernmost point of Africa in 1487/1488, made clear that was possible to ritch to India by sea.
Latter, in 1497, Dias accompanied Vasco da Gama’s expedition to Índia.
Dias, originally named the Cape of Good Hope the "Cape of Storms". It was King John II, that renamed it as Cape of Good Hope
In conclusion: For the most part of the cases, behind a great man, is a great woman, but in this case, behind a great man, he was another great man. LOL
I hope you feel better!

MrTBear disse...

Desculpa RIC, estar a fazer comentários aos comentários do teu blogue, mas deu-me uma branca e tive de vir descontrair, para ver se continuo o trabalho.........

Lampejo disse...

Parafraseando alguém que eu cá sei, que disse por estas mesmas palavras o seguinte comentário, "Não me interessam os adjectivos que apresentaste para ti próprio...". O que interessa é que tenhas uma opinião formada, se os outros discordam que ao menos o façam de uma forma construtiva, cada um tem direito a sua opinião.
Por acaso vi ontem o programa na tv, fiquei a saber uma façanha do Salazar que desconhecia, a criação dos contractos colectivos de trabalho e do alargamento do apoio social aos mais carenciados.
Numa lista tão pequena como o Top Ten, é óbvio que teriam de ficar de fora muitas das individualidades que enalteceram este país a beira mar plantado. Acho que cada um deles deu o seu contributo, da melhor forma que sabia, pensando que o fazia da maneira mais correcta, em prol da nação.

pinguim disse...

Meu caro Ric
como dizes, isto dá pano para mangas.
Também eu receava pior (Mourinhos e quejandos...), mas claro não será a minha lista. Não abdicaria de Amália, não metia o Cunhal, pois ao metê-lo teria que meter outros, històricamente é pena não haver ex-equos, pois Gama estaria bem acompanhado de Magalhães, e Pessoa é um óptimo representante da literatura moderna a juntar a Camões, claro.
Salazar, porra, longe esteja, mas é objectivamente uma figura marcante da nossa história recente.
Concordo com a tua sentida revolta acerca de M.J.Pires, mas enfim podia estar pior.
Eu colocaria em primeiro lugar Vasco da Gama, depois Camões e o bronze ia para Pessoa.
Salazar, muito quietinho no 10º.lugar.

Shadow disse...

Lá arranjei um tempinho e alguma disposição e assisti ontem a essa 'coisa' a que chamam «Os Grandes Portugueses».
Fiquei espantada c/ alguns dos nomeados e respectivos lugares.
Pinto da Costa? Hélio Pestana? José Mourinho? Alberto J.Jardim?
Como é possivel, por exemplo, Eça de Queiros e José Saramago ficarem atrás de J.Mourinho e Pinto Da Costa? Claro que todos os lugares são relativos mas, por favor,
digam-me que a minha televisão não passou o mesmo que a vossa!Please!
Na tua lista trocaria o 3º e 4º lugar.
E agora piro-me antes que deixe aqui o vírus da gripe.

Excelente dia para amanhã.

:-)

aracnauta disse...

já agora e para fazer um reparo histórico que muita da nossa "estoriografia" (lol...) teima em deixar passar em claro: a "gesta marítima" é A MARCA portuguesa na história da humanidade, que nos orgulha e enobrece!
Daí que os nossos "nautas" apareçam e com razão, na lista dos melhores, só que...
...ainda perdura uma imagem do Infante D. Henrique, como um tal sonhador e executor dum ideal de descoberta.
Mas tal imagem não corresponde à verdade e é mais fruto de uns cronistas "hagiográficos", e impulsionada por certos ingleses que se apoderaram da figura do infante - que era meio -inglês, via Filipa de Lencastre...- e que o nosso fascismo iconizou e achou por bem endeusar!
Mas a modenra historiagrafia e a mais isenta e bem documentada, afastou muito para longe essa tal imagem do Infante como o idealista/ sonhador/executor da gesta marítima...
Até aquela "figura" que fomos "habituados" a reconhecer como o Infante, e que pulula nas estampas "oficiais", está já há muito desacreditada, e por acaso, a que se pensa ser a vera efígie do homem, até que é muito mais interessante, pois ele náo tinha nada aquele ar sombrio e tristonho...muito pelo contrário, era um "pedaço" de homem todo lançado...basta irem ver a estátua dele, mais ou menos coetânea, no portal sul do mosteiro dos Jerónimos ... era cá um bear, que só vos digo ...lollllll..
O seu verdadeiro ideal e o que de facto ele executou e que o consumiu, por acaso não tinha a ver com gestas marítimas, mas sim com gestas terrestres e que passariam pelo norte de áfrica e granada, e mourama corrida à espadeirada !
As grandes figuras da nossa gesta marítima, que de facto, a conceptualizam e executam, passam, primeiro, pelo Infante D. Pedro - o das sete partidas, um principe acolhido e admiradissimo por todas as maiores cortes da europa, refinado, culto e visionário...- e pelo seu neto, e este sim, o GRANDE MENTOR, ORGANIZADOR, IMPULSIONADOR, O "EL HOMBRE", O PRINCIPE PERFEITO: o nosso João II! O Vasco da Gama é um "executivo" excelente da "escola" de João II e os louros que ele recolhe deve-os todos ao "regimento" elaborado pelo tal escol do Principe Perfeito!
É certo que o Infante D. Henrique esteve "metido" no início da gesta dos descobrimentos, mas, na minha opinião pessoal, mais a contra-gosto e mais porque não lhe deixaram continuar com os seus desvarios pelo norte de áfrica... o mano Pedro, quando regente, "obrigou-o" a olhar para o mar e a gastar as suas energias para aí...!
E morto o Infante Pedro, lá voltou outra vez o Infante Henrique com o aparvoado sobrinho , o D. Afonso V, para as pelejas norte-africanas...!
Mas é de facto, com D. João II que em Portugal se reune o melhor escol intelectual e cientifico, a melhor marinhagem, a melhor cartografia, o melhor de tudo ao tempo, até congregar - facto quase inédito na história...- os melhores saberes do cristianismo, do islamismo, do judeísmo, reunindo na sua corte os melhores sábios dessas correntes... que depois o "cristianíssimo" Manuel deitou tudo a perder...
Isto tudo para dizer: se há pai da nossa pátria/nação que criou uma marca Portugal, esse é o nosso "PRINCIPE PERFEITO", que "mereceu" da Isabel, a católica, o seguinte comentário, quando soube do seu falecimento: morreu " EL HOMBRE".
E de facto a vida dele e o que ele fez no seu reinado é qualquer coisa de espantoso e de uma visão politica e social e de uma "modernidade" que até arrepia...!
Ganda Homem, pá!!!

Carioca disse...

Bom, eu colocaria o Vasco da Gama em 1º lugar.
A meu ver (pode ser que eu teja completamente errado), acho que poucas pessoas fizeram tanto quanto ele por Portugal.
Ah! Eu queria aproveitar pra fazer uma correção de um equívoco que eu cometi: aquela pessoa que eu mencionei não mora em Amsterdã, e sim em Den Haag.
Um abraço!

RIC disse...

Olá Teddy Bear! Desculpa - tu e todos os outros - pelo atraso com que estou a responder, mas eu fui algo leviano e a constipação voltou a atirar.me para o estaleiro...
Quanto aos nomes que sugeres concordo plenamente. Não retiraria Aristides S. Mendes, porém, mas não me incomodaria assim tanto substituir Álvaro Cunhal.
Compreendo o fascínio causado pelo Infante, mas para mim ele é sobretudo uma figura titular mítica, bem como a sua obra, que admiro.
Quanto aos valores que referes, se enquadrados no contexto do Estado Novo, prefiro não me pronunciar...
Acho que me poria aqui a arenguar desalmadamente contra algo que abomino (para não dizer que odeio), e isso não é uma atitude correcta por parte de um anfitrião... Resta-me pois tão-só dizer-te que nunca aceitei esse pedestal do regime, o que se deve pela certa ao meu percurso de vida. «Yo soy yo y mi circunstancia»...
Para concluir, estás à vontade para comentar o que bem te aprouver! Fizeste bem em completar o excelente comentário do Gray, que se deu a um imenso trabalho de pesquisa. Só tenho de te agradecer!
Um abraço amigo, meu caro!

RIC disse...

Hello, dear Joel! Yes, you're absolutely right, and this list is a national one that was broadcasted Sunday evening on RTP1, our national main network.
Now you can read Gray's comment, who did a wonderful work, searching everything he could about each one of them!
I hope and wish you're feeling better now, dear Joel!
Hugs!

RIC disse...

Hello, dear Gray! Thank you so very much for doing the work I should have done myself... But I was too tired to do it, and the cold sent me to bed sooner than I wanted...
Your list is most accurate, I must say, even though there are a few details I may not understand entirely. For instance, Pessoa is NOT a «poet of some measure». He is undoubtedly one of the best universal poets of the 20.th century! That's exactly why he comes first in my list.
In the English language historiography, Infante D. Henrique is known as Henry, the Navigator.
And Mr. Teddy Bear was so kind as to write in English about a few details he considers important.
What a magnificent work you did, Gray! Once again, thank you so very much!

RIC disse...

Goede dag, Me! Como te sentes aí, na «terra dos patos grasnantes», como Filinto Elísio chamou à Holanda? (Rsrsrs!)
Também consigo compreender as tuas opções. Eu próprio não entendi muito (nada) bem como é que Álvaro Cunhal (que eu aprecio sobretudo por toda a coerência e rectidão de uma vida) surege entre os 10 primeiros e, por exemplo, Mário Soares ficou de fora... Terá a ver com a camoniana «lei da morte»? Estou em crer que sim. Nós portugueses somos muito sensíveis a esse aspecto...
Quanto a Fontes Pereira de Melo, ficou nos 50 primeiros.
Um abraço!
Groetjes! :-)

RIC disse...

Salvé, ó magnificente Imperador! Os meus respeitosos cumprimentos!
Obrigado pela tua total concordância; de vez em quando, também sabe bem...
Acredito no choque sentido pela tua irmã. Também eu, no Sábado, pensei que esta iniciativa redundaria numa tragicomédia nacional bem ao estilo vincentino... Mas vá lá... Parece que a honra do convento conseguiu salvar-se...
Quanto ao 10.º lugar da minha lista, não sei - sinceramente - como é que a História poderá reabilitá-lo. Para mim, isso é claramente impossível! Mas a minha família fez um percurso antifascista, sobretudo o meu pai. Não tenho como esquecer isso...
Um abraço a Sua Alteza Imperial!

RIC disse...

Olá Lampejo! Muito obrigado pela introdução! Opiniões à parte, estou muito satisfeito com os comentários que aqui estão, inclusive com aqueles que consideram a minha «ordenação» algo estapafúrdia. E se calhar até é em parte... O tempo ajudar-me-á a rever alguna aspectos, dos quais virei provavelmente a discordar...
Quanto à «façanha» que referes, creio que estás de algum modo a mudar o protagonista: também eu fiquei admirado com esse aspecto (à época era miúdo) das contratações de trabalho. O seu autor NÃO foi Salazar, mas sim Marcello Caetano. Há que repor a verdade... Espero que te lembres! A César o que é de César...
Quanto ao teu último raciocínio, direi que o que diferencia sobretudo políticos à luz da História são dois pormenores não de somenos: visão de futuro e capacidade de levar a cabo essa visão. E isto poucos conseguem...
Um grande abraço, meu caro!
Obrigado!

RIC disse...

Olá João! Muito obrigado! Juro que dei uma gargalhada abrupta quando o programa começou com Maria João Pires em 100.º lugar... Uma gargalhada nervosa, talvez para não começar logo a chorar com o descalabro que se perfilava no horizonte... Mas enfim, não descambou tanto quanto eu temia...
Acho muito interessante o teu pódio e facilmente concordaria com ele!
Um grande abraço amigo!

RIC disse...

Olá querida Carla! Dizes bem: foi necessário encontrar alguma disposição para assistir àquilo, sobretudo no Sábado foi bem «para o outro lado», atendendo aos nomes que citas e ainda outros completamente inexplicáveis, verdadeiros mistérios deste nosso Portugal hodierno... Mas está descansada, porque viste SIM o mesmo programa...
Curiosa, essa troca entre o 3.º e o 4.º... E mais não digo...
Ataca essa gripe em força! Eu já estou na recaída, porque sou leviano e não tenho em conta que a idade só aumenta, nunca diminui...
Protege-te!
Uma boa semana também para ti!
Beijinhos!

RIC disse...

Olá Aracnauta (?!)! Sê bem-vindo!
Muito obrigado pelo teu excelente comentário! Indubitavelmente és alguém que sabe do que fala/escreve, e só tenho a gradecer-te por te teres dado ao trabalho de nos elucidar algo mais sobre o período mítico por excelência da nossa História.
Também tenho para mim que os ditos cronistas «hagiográficos» (óptima imagem!) e, mais tarde, alguns historiadores «exaltados» mais não fizeram que acentuar o carácter lendário e mítico da nossa gesta marítima.
Quanto ao Infante, concordo quando dizes que o Estado Novo fez dele o que quis e lhe apeteceu... O carnaval de 1940, cujo relato na 1.ª pessoa ouvi da minha mãe (então ainda criança) e dos meus pai e avô, já homens, é o que de pior se poderia ter feito à nossa História, sobretudo no país de analfabetos que então éramos. Mas isto sabia-o Salazar bem demais - e o Rolão Preto e quejandos...
Lembro-me bem das dificuldades que senti para «refazer» a História que o Estado Novo despejou sobre mim... Não foi fácil desfazer-me de historietas da treta que, aliás, alguns ainda hoje teimam em propagar...
Se o Infante era um «ganda bear», um «ganda naco de homem» (rsrsrs!) não sei, infelizmente... Mas já que os Jerónimos estão a 3 minutos de minha casa, vou seguir o teu conselho e dar uma espreitadela... Obrigado!
Quanto a D. João II, agradeço-te também pelas palavras claras com que o apresentas. Admito estar ainda hoje meio confuso quanto à sua actuação, sobretudo no que diz respeito ao fortalecimento do poder real e a ter limpado o «sebo» aos duques mais desatinados... Talvez nos queiras dizer algumas palavras sobre este aspecto... Gostaria muito! E D. Manuel colheu - e desbaratou - o que ele semeou... Já para não falar do desatinado do beato - D. João III - esse sim, deitou tudo a perder, definitivamente...
Espero e desejo que regresses!
Gostei mesmo muito de te ter lido, acredita! Além do «ganda homem», é de pessoas como tu que o «jardim à beira-mar plantado» sem dúvida precisa, pá!...
Um abração!

RIC disse...

Olá Carioca! Não posso concordar contigo quanto a Vasco da Gama, pela simples razão de ele ter sido o mero «executor» (com todos os méritos que isso implica, sem dúvida) de um sonho alheio...
Quanto ao local de residência da pessoa que referes, por aqui chamamos a essa cidade «Haia» e há quem considere que deverá sempre ser usado o artigo definido - «A Haia» - tal com em Inglês «The Hague» ou em Francês «La Haye». Eu por mim sempre disse apenas Haia...
Já agora deixo-te aqui o nome «por extenso» dessa cidade, já que Den Haag é uma abreviatura de... longo nome!... 's Gravenhage, cuja pronúncia deixa a garganta desfeita... (Rsrsrs!)
Um abraço amigo!

Gray disse...

(to mrtbear) Thank you for your kind comment. Of course I read about Bartolomeu Dias while researching Sr. de Gamma, but Ric did not put him on the list so I erred for the sake of brevity (in other words: I kept it simple).

Ric, thank you so much. It was indeed a pleasure to research each of the gentlemen AND I love to learn new things!

You are absolutely correct: Sr. Pessoa is not simply "A poet of some measure" but, as you write, he is one of the best poets of 20th century! I've read some of his works -- wonderful!

I hope you are feeling better and wish you a speedy *full* recovery.

Maurice disse...

Não acompanhei o programa em causa e, por isso, estou um bocadinho a leste deste tema.
As "listas" implicam sempre uma grande dose de injustiça. Uma lista de dez, então, é dificílima de fazer. Apesar de todas as cautelas, gosto da tua lista. E digo gosto, porque é mesmo disso que se trata: uma questão de gosto... :)
Fora deste elenco, há outras figuras que me parecem dignas de aparecerem nos "listados", embora me abstenha de lhe dar uma classificação: Fernão de Magalhães, Santo António de Lisboa, São João de Deus, Eça de Queiroz, Agostinho da Silva, D. Sebastião (não pelas suas obras, mas pela "culpa simbólica..."), António Vieira, etc...etc...

RIC disse...

Hello, dear Gray! Thank you so very much for your concern! After having slept some rather long hours, I woke up this morning feeling a lot better. I hope I'll recover now definitely... I feel so stupid when I've got a cold...
As to the names on this list, they are not my responsability, as you've understood. They were brodcast on a TV show. My responsability, however, was to rank them, which was no easy task, I can tell you... So many doubts, so many different aspects to consider...
Oh and I'm so happy it led you somehow to read Pessoa! He's such a great poet, such a complete human being. A genius, no doubt for me! I hope you've read good translations! He wrote directly in English, you know, since he was brought up in Durban, South Africa.
Thank you very much!
Wish you all the best!

RIC disse...

Olá Maurice! Obrigado pelo teu contributo! Devo dizer de entrada que os nomes constantes da lista são da responsabilidade do programa da Maria Elisa, o qual no Sábado quase descambava para o puro surrealismo... Mas no Domingo lá se recompôs...
A minha responsabilidade está em ter ordenado os nome e assim ter dado o 1.º lugar a Fernando Pessoa. Concordo em absoluto com as tuas considerações quanto ao facto de serem estas listas sempre de uma tremenda subjectividade e injustiça...
Quanto aos nomes que referes, todos eles apareceram nos «100 Mais», à excepção, se não me engano, de S. João de Deus e D. Sebastião, de quem, já agora, em «La Raya Quebrada» (um documentário histórico muito bem feito pela TVE) se afirma que «era privado do desejo pelas mulheres»... Um eufemismo em forma de pérola. Adorei!...
Uma boa semana para ti e um abraço amigo!

Minge disse...

You are a blog star.

RIC disse...

Hello, dear Minge! No, I'm sorry, I'm no star at all! I've just been trying to find those who may have similar interests as mine...
In the mean time Portugal decided to show me what I hadn't seen yet.
I'm glad it happened this way. I really am! But no, no star credits for me, please! I wouldn't ever accept them.
Hugs!

Lampejo disse...

Ric, agora que me reavivaste a memória, só tenho que pedir desculpa ao pobre Caetano.
Tens toda a razão, a César o que é de César...

RIC disse...

Olá Lampejo! Bem me pareceu que tinhas recebido a mensagem «direitinha», apenas trocaras os protagonistas. Como um deles era, por acaso, o Salazar, não consegui ficar calado.
Mas tinha a certeza de que te darias conta do lapso!
Um abraço!

Nature disse...

eu concordo com muito do que escreveste. tb vi com muito interesse a apresentação dos 100 grandes portugueses a fiquei algo desiludido com algumas patetices...
achei particularmente interessante o facto da lista ser bastante transversar à nossa história.
quanto à lista, troco a ordem dos dois primeiros, mas inda n ordenei a minha lista final.

RIC disse...

Olá Nature Boy! Apraz-me que acompanhes esta iniciativa, ainda que eu continue a olhá-la de esguelha... E por causa das patetices também!
Ficarei a aguardar que ordenes tu a tua lista! Ah, e mais uma vez parabéns pela tua iniciativa! :-)
Um abraço, meu caro!

Nature disse...

qd ordenar a minha lista digo-te aqui.
e acho muito interessante que tenhas lançado o debate aqui.

RIC disse...

Muito obrigado, Nature Boy! Para que vejamos como são as coisas, ainda no Sábado tinha dito a amigos meus que jamais escreveria uma linha sobre espectáculo tão deprimente e de baixo nível... Ainda demos umas gargalhadas quando alguém disse que no Domingo ainda veríamos aparecer o Quim Barreiros ou outro da mesma estirpe...
Vá lá... Não foi assim.
Fico então a aguardar! :-)
Um abraço!

Minge disse...

But you have to accept the truth: you are a blogstar.

RIC disse...

Okay, okay, dear Minge! I surrender! Don't you see my hands up?! You say it, and I believe you, honestly I do!
(All I want is to enjoy the bloggosphere. Blogstar or not, I really don't care that much...)
:-)

Minge disse...

Care or not, accept the truth, you glorious man.

RIC disse...

Am I missing something around here, Minge? Should I know something else and I don't?...
:-)

Minge disse...

Only know that you are fabulous, inspirational and a blogstar.

RIC disse...

Very well then, Minge! You command, I obey. I some times enjoy it...
:-)

Minge disse...

Ah!

C'est bon, mon ami!

RIC disse...

I don't mind if it is.
:-)

Minge disse...

As I also do not.

Your effervescence is plain for all too see with a perfume unmatched by all the roses of the world.

RIC disse...

Wow! Fib Sunday has enhanced your poetical vein, dear Minge!
«Give me roses, roses, and lillies as well»... (Pessoa)
:-)

Minge disse...

Lilies, yes, but remember, dear heart, they that fester, smell far worse than weeds.

Neither a lily nor a weed are you, nore a rose, my love, but a vine, bearing fruits, fruits of love, passion, sex, intelligence and inspiration!

RIC disse...

[Speechless...] Less is also nice and gentle and tender...
:-)

Minge disse...

Yes, Ric, you are right, and you are all this and more. Beautiful. J'adore.

RIC disse...

Thank you, dear Minge! I like reasonable people very much. I do value them.
Et moi je t'adore aussi!...
:-)