quinta-feira, 19 de julho de 2007

«De distinctionibus et catenis...»






A blogosfera também tem destas coisas – distinções e cadeias. E quando menos se espera, dá-se uma reviravolta de atenções, os olhares seguem noutras direcções e o que parecia distante torna-se próximo.

O André Benjamim escolheu-me (há que tempos… As minhas sinceras desculpas pela desatenção!) para citar os últimos cinco livros que li, e passar a palavra a outros bloguistas.
Respondo muito agradado.

As minhas leituras mais recentes têm sido sobretudo releituras:

- Bernardo Soares, O Livro do Desassossego, Lello & Irmãos
- Gabriel García Márquez, Cem Anos de Solidão, Europa-América
- Lawrence Durrell, The Alexandria Quartet, Faber fiction classics
- Maria Belo, Filhos da Mãe, Edeline
- Pierre Janton, L'Espéranto, Presses Universitaires de France

Por uma questão de correcção não quero, neste caso, quebrar a cadeia, pelo que muito respeitosamente passo a palavra a:

Luís
Manuel B. S.
Maurice
Paulo
Oz

Quando já tinha esta resposta quase pronta, outra novidade me chegou do André Benjamim. Desta feita, trata-se da nomeação "MomentUS de Excelência". Pela atenção a este blogue que a dita revela, os meus sinceros agradecimentos!

Considero que a importância principal destas distinções reside sobretudo no facto de com elas se estreitarem laços entre bloguistas que, em princípio, têm algo comum entre si. E isto é, a meu ver, muito positivo e, portanto, louvável.

Também neste caso devo proceder à passagem do testemunho. Como na blogosfera leituras e escritas andam geralmente de mãos dadas (sem que isto constitua regra, bem entendido), nomeio os bloguistas acima referidos. Não posso saber o que cada um pensa deste tipo de cadeias ou correntes e só posso desejar que não me levem a mal por os chamar assim à liça…

Os respectivos blogues são bem mais do que o resultado de leituras e de escritas, bem entendido, e também outros poderiam de igual modo ter sido nomeados. Não há, pois, nesta nomeação lugar para méritos e/ou deméritos. Não se trata – nem de perto nem de longe! – de uma avaliação. É tão-só e apenas a minha escolha, com toda a carga subjectiva inerente.
Abraços amigos para todos! Adoro a vossa companhia! :-)

RIC

12 comentários:

André Benjamim disse...

Quere-se-me parecer que o Dejanito também te pediu para dizeres 5 livros Ah Ah... Qualquer dia, com tantas correntes, os bloggers não publicam posts... limitam-se a responder a correntes...

Abraço,

André Benjamim

RIC disse...

Olá André B.!
Pronto! O meudever está cumprido! Mais uma vez, muito obrigado!
Quanto a cadeias e correntes e mêmes e quejandos, já me decidi há muito tempo: correspondo ao que me parece merecer atenção e nunca de imediato («Para ontem!»).
Era só o que mais me faltava! 'Tá bem, 'tá! Nem que a vaca tussa! Cá os meus pequenos prazeres das escritas e das publicações e das divulgações não é qualquer um que mos tira! Rsrsrs!
Abraço! :-)

Catatau disse...

Nos últimos vinte anos, já li o Cem anos... para aí umas três vezes. Gosto muito do GGM. Muito mais dele do que do Jorge Amado, já que se fala de latino-americanos.
O GGM tem aquilo que eu gosto num escritor: o poder de "remexer" na essência, sem se tornar enfadonho.

Esperanto?! Patro nia! :))

RIC disse...

Olá João M.!
Ó pra ele, todo curioso, a tirar conclusões das minhas leituras!... Rsrsrs!
Já há muito que queria reler «Cem Anos de Solidão». Aproveitei a avaria do computador e, para que a tristeza fosse menor, embrenhei-me em algumas leituras que sabia que me fariam bem.
Gosto muito de GGM, mas também muito do Jorge Amado. Acho que são diferentes, dão-nos mundos diversos através dos seus livros. Foi uma verdadeira delícia ler «Dona Flor e Seus Dois Maridos»: ainda me lembro de momentos de grande risota...
Quanto ao Esperanto, é uma história aqui do blogue com origem em Inglaterra, uma espécie de desafio... Aprendi umas coisitas, mas como não tenho meio de praticar...
Abraço! :-)

Manuel Braga Serrano disse...

Irra... cabe-me a mim ser o desmancha prazeres de quebrar a corrente. Não tenho o hábito de entrar nesse jogo. Na verdade, não sou um grande bloguista. Não acompanho tantos para poder chamá-los à liça, correndo o risco de nomear os mesmos que os outros.

Quanto às minhas últimas leituras:
Michael Ondaatje, The Divisadero, Knopf;
Cormarc McCarthy, A Estrada, Teorema;
Martin Amis, House of Meetings, Jonathan Cape;
Manuel Rivas, Los libros Arden Mal, Alfaguara
Rui Pires Cabral, Capitais da Solidão, Teatro Vila Real.

S.M. disse...

Olá!
Obrigada pela visita e pelas prendas. Gostei muito, embora já conhecesse a canção, há mto q n a ouvia;já nem me lembrava da relação c o quadro de Van Gogh. Brevemente desvendarei o segredo da S.M.(bastante prosaico por sinal). Não, mentes preversas, não é Sado-Masquista... embora seja traço a n excluir por completo...lol
Abraços e beijinhos (é à escolha)
:)

RIC disse...

Olá Manuel B. S.!
Que isso nem te incomode nem te perturbe! Não tem mal absolutamente nenhum, a meu ver. Já quebrei várias e não fui preso por isso! Rsrsrs! Nem seria necessário justicares-te. Provavelmente outros farão o mesmo, pelas mesmas ou por outras razões. Muito obrigado!
Gosto muito de Ondaatje, de quem conheço títulos menos recentes: «In The Skin of A Lion» e «The English Patient». E Martin Amis também. Obrigado por nos deixares a tua lista!
Um abraço! :-)

RIC disse...

Olá S. M.!
Não tens de quê! Foi um prazer!
Calculei que a conhecesses, mas é sempre agradável rever o Don McLean em menino... Nem nas capas dos discos o vi alguma vez com um ar tão jovenzinho...
Bem, minha cara, as mentes não serão perversas... Os indícios é que as põem em ebulição! Rsrsrs!
Felicidades!
Não, não escolho! Fico com os beijinhos e os abraços. E retribuo!
:-)

pinguim disse...

Concordo contigo em absoluto quando dizes que não é o "dever" de responder a uma corrente, que te vai tirar o sono, e menos ainda a vontade de planeares o teu blog como muito bem entendes; tudo tem o seu tempo...
Abraço.

RIC disse...

Olá João C.!
A estas horas de distância, essa minha afirmação parece-me mais retórica que qualquer outra coisa! A não ser o gosto de participar ou uma gentileza para com um bloguista amigo, não estou a ver qualquer outra razão para entrar em correntes e cadeias...
Aqui, as prioridades são as minhas e sou eu que as defino.
Abraço! :-)

Special K disse...

Eu sou um quebra-correntes. gosto de responder mas raramente dou seguimento para outros blogues.
Obrigado por me considerares um momento de excelência. Em breve tentarei responder ao teu desafio.
Um abraço.

RIC disse...

Olá Paulo!
A partir daqui farás como bem entenderes, claro! Como se trata de referir cinco livros, acho que é uma boa ideia: sempre podemos ser recordados de um título que há muito tempo queremos ler, mas que por uma razão qualquer esquecemos.
Outras correntes e cadeias são uma autêntica seca e também costumo quebrá-las. Acho má ideia impor certas brincadeiras aos outros.
Não tens de agradecer nada, meu caro! Eu é que estou contente por nos termos encontrado! E gosto mesmo do teu blogue, não é favor nenhum!
Um abraço para ti também, caro Paulo!
:-)