sábado, 2 de dezembro de 2006

II. Referendo 2007

Ficámos a saber há dias que o Presidente da República marcou já o referendo nacional sobre a Despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez até às dez semanas para o próximo dia 11 de Fevereiro de 2007, data com a qual todos os partidos políticos representados na Assembleia da República manifestaram já o seu acordo e anuência.

A few days ago the President of the Republic announced the national referendum on the Non-penalization of the Voluntary Interruption of the Pregnancy until ten weeks for next February 11.th 2007. All of the political parties represented in the Assembly of the Republic revealed their agreement and consent to this date.

Dou, aqui e hoje, a minha opinião sobre o assunto, ao qual não voltarei.
Não é minha intenção encetar qualquer polémica.
Prezo a vida acima de tudo.
Abomino tudo o que significa o seu fim.
Da horrenda e bárbara pena de morte, contra a qual, aliás, a Santa Sé raramente se insurge, ao terrível aborto clandestino, que ainda hoje entre nós estropia e mata mulheres.
Muitas ou poucas, é‑me absolutamente indiferente.
Mata.


Não contra‑argumentem, por favor, com a vida do embrião. As escolhas, neste mundo imperfeito feito por homens e mulheres, impõem‑se por si: entre um ser vivo «em acto» que está neste mundo e uma entidade biológica que é um ser «em potência» indesejado ou não, a minha escolha está feita. Quanto ao facto de «poder ser» razão para abuso como meio contraceptivo, gostaria apenas de dizer aos homens – e a algumas mulheres – que assim pensam que deveriam ter as mulheres e o seu psiquismo em melhor conta.

RIC

23 comentários:

Anónimo disse...

Eu penso eu te amo!

Leone xx

RIC disse...

Hello dear Leone! Que bom! Já «falas» Português! ( = How nice! You «speak» Portuguese already!) In English you can leave «that» out; in Portuguese you may not... Sorry! So «Eu penso que eu te amo».
I think I love you too, dear friend!
I hope it isn't too cold over there. Winter is coming really quickly...
Wish you a great Sunday!
Hugs!

Shadow disse...

Pelo SIM à Despenalização da Interrupção Voluntária da Gravadiz, venha o referendo!

Bom Domingo.

Shadow disse...

Gravidez, queria eu escrever.

(Malvado teclado comprado na loja do chinês...grrr!)

RIC disse...

Olá Carla! Mais uma vez, estamos em sintonia. Ainda bem! Poderia não ser o caso, mas é!
E obrigado pelas gargalhadas! Por essa da loja do chinês não estava eu à espera... (rsrs!) De facto, no meu teclado, o «e» está longe do «i»... (rsrs!)
Bom Domingo também para ti! Agasalha-te que o frio parece ter chegado para ficar. Grrr!

Joel disse...

I don't know where you stand on this, but I'm pro choice.

It's about time.

Carioca disse...

Oi, Ric.

Bom, não sei exatamente como é aí em Portugal, aqui no Brasil a lei só permite o aborto em 2 casos: se a gravidez for resultado de estupro ou se a gravidez for considerada de alto risco.
Nesse último caso, principalmente, eu sou completamente a favor do aborto. Afinal, se já existe 99% de certeza de que a crinça vai morrer pouco depois de nascer e, ao mesmo tempo a vida (ou no mínimo a saúde) da mãe está sendo colocada em alto risco, pra que manter essa gravidez?
No caso do estupro, a lei dá 3 saídas possíveis, e a mulher escolhe: ela pode ficar com o filho e criar ele normalmente, ela pode abortar e ela pode doar o filho pra uma instituição de caridade no mesmo instante em que ele nasce.
Nesse último caso, é cortado pra sempre qualquer vínculo entre ela e a criança.
Bom, nesse caso eu acho que a mulher mesmo é que tem que saber, né? Mas também não sou contra o aborto nesse caso.
Eu só acho que o aborto não pode ser usado como se fosse uma pílula anti-concepcional. Não pode ser ´engravidou, abortou`. Também não é assim, né? O aborto é um ato muito traumático fisicamente pra ser usado em situações... ´banais`, vamos chamar assim.
Eu sou a favor do aborto, mas só em casos extremos.

Minge disse...

Is abortion forbidden in Portugal at the moment?

RIC disse...

Hello Joel! You bet I'm pro choice as well! «Sim» is «Yes»! Even catholic Italy, Ireland, and Spain are long beyond this matter; we are the last ones in western Europe... It's high time indeed!
Great Sunday for you!

RIC disse...

Olá Carioca! Concordo plenamente contigo! Creio que deixei claras as minhas ideias nas poucas linhas que escrevi. Neste momento - e é esta a questão - se uma mulher abortar (independentemente do tempo de gravidez) e for denunciada, de acordo com a lei vigente poderá ser condenada e cumprir pena de prisão. Daí que a tónica seja posta na despenalização, não na «liberalização do aborto» como a direita pretende fazer crer.
Muitíssimo obrigado pelo teu comentário! É sempre bom saber como são as coisas noutros países, especialmente tratando-se do Brasil!
Um abraço! Bom Domingo!

RIC disse...

Hello Minge! Yes, my dear friend, it is! Or are you forgetting the wonders the catholic church manages to work around here?
The present law only allows abortion in two or three situations; in any other, the woman may be brought before justice and sentenced to prison.
Isn't religion a paradise?
Enjoy your Sunday!

Anónimo disse...

Hi Ric
Thanks for giving me a good feel in my soul man! I think we could get on. Have a great week Mr.

Love (a lot)

Leone xx

RIC disse...

Hello Leone! You are most welcome indeed, dear friend! If I can give you a good feel in your soul, then I'm happy both for you and for myself! Shame that in some ways the world's still far too vast...
Love you a lot too!
Enjoy your week the best you can!
Hugs!

Karla disse...

Já escrevi sobre o referendo ao aborto.
http://ante-et-post.weblog.com.pt/2006/10/vai_comecar_a_histeria
Espero que desta vez, ninguém fique em casa e participe. Espero que desta vez ganhe o SIM. Espero que se acabe com a hipocrisia. Espero que se criem condições de vida para as mulheres poderem ter os filhos que querem e não os que podem. Espero muita coisa do futuro. Mas ainda vou ter de esperar muito.

RIC disse...

Olá querida Karla! Que bom reler-te! Obrigado pelo URL (torna-se mais fácil de facto! Obrigado também pelos artigos: aguardo uma resposta da Austrália!... Vamos ver!
Quanto ao aborto, são esses mesmos os únicos argumentos. E há já tanto tempo... Tens toda a razão: há que acelerar a esperança, ou não sairemos da cepa torta...
Um beijinho amigo!
Para ti, uma excelente semana!

Gray disse...

I love Kristeva, Ric. I've been playing with her since I've found her. Thank you. It's boring while just laying here.

/me disse...

Oi. Voltei aqui, voltei ao relapsias, e participo de um blog que temático, que defende o "não" ao aborto (de uma forma não-primária).

Olá. :P

RIC disse...

Hello Gray! I sincerely hope you're feeling - and getting - better! Laying on a hospital bed is rather boring indeed! So I believe Kristeva will be rather pleased to have someone to play with!
The real Kristeva, completely white as the virtual one, that died a few years ago, was rather playful too. She wasn't shy at all, and would play with anyone who came to my house... I do miss her very much...
Quick recovery, dear Gray! :-)

RIC disse...

Dag meneer! Hoe gaat't?
Sejas bem-vindo, de novo, caríssimo Me! Acho muito bem que estejas de volta e mo tenhas feito saber!
Já sabia do blogue temático pelo «não», mas confesso que só passei os olhos... Lerei agora com mais atenção!
Obrigado! Felicidades!

/me disse...

Olha, já agora, hoje por aqui é dia de Sinterklaas. ;)

RIC disse...

Jawel, meneer, dat wist ik al! Vandaag is ja de vijfde!
São Nicolau é a matriz - salvo seja! - do Pai Natal, de acordo com certa tradição; outras, contam outras histórias, que até já metem ao barulho a Coca Cola e o MacDonald's... Isn't it just creepy or what?...
Ik wens jou 't allerbeste toe.
Gezelligheid voor jou op deze dag!
Groetjes!

/me disse...

Por acaso tive de ouvir discursos a dizer bem do Sinterklaas e mal do Pai Natal. Contive-me para não dizer que não me importo lá, que quero lá saber, porque eles levam isto muito a peito. Um até me chegou a dizer que a tradição do Sinterklaas era bem mais antiga que a do Natal. Mas lá percebi que por Natal ele queria dizer Pai Natal...

RIC disse...

Pelos deuses do Olimpo que alto moram! Como conhecimento e opinião se vão afastando cada vez mais!... Deve haver uma espécie de tectónica de placas a afectar o espírito ocidental, só pode...
Quanta ignorância (mascarada ou assumida, hoje em dia parece que tanto faz...)
A verdade é que o Pai Natal é posterior a São Nicolau e é uma criação sobretudo norte-americana. No «meu tempo», a figura central do Natal, mesmo no tocante a presentes, era o Menino Jesus, como não podia deixar de ser de acordo com a tradição católica.

Em vez de fazê-lo no teu blogue, Me, deixo-te aqui, já agora, a indicação do édito acerca de «Vagabundos de Nós»: 7 de Agosto, s.v. «Itsy Bitsy Spider».
Estou feliz por tu estares de volta! Acredita! :-)