sábado, 19 de agosto de 2006

Act and be merry!...


«Nunca a ninguém faltou uma boa razão para se suicidar.»
«Nobody has ever lacked a good reason to commit suicide.»
Cesare Pavese

Viver sendo até à morte.
Existir durando até estar morto.
Um é um caminho a percorrer.
O outro, uma espera adiada.
Não só no Universo
Haverá negros sorvedouros.
Como é que ledas vidas se transmudam
Em mestas durações irremediáveis?

A meditation on life being a stage: in the end we're all rather poor playwrights.

3 comentários:

Joel disse...

And actors!?

Carioca disse...

É. Não sei se todos já pensaram em se suicidar algum dia. Mas com certeza, todos já pensaram que, inevitavelmente, vão morrer algum dia. Não dá pra negar isso, né?
E eu acho que ninguém precisa pensar na morte como algo negativo. Afinal, todos vamos morrer. Não importa se a pessoa foi egoísta, altruísta, bem intecionada, mal intencionada... A morte tá no destino de todos. Então, ela não é positiva nem negativa: ela é neutra!
Assim, acho que se suicidar é até uma coisa desnecessária. A pessoa não precisa procurar a morte: a morte já tá procurando ela. E um dia vai encontrar, né?

RIC disse...

Joel - Actors on stage, and no playwrights around. That's one of the absurdities of life...

Carioca - A questão, para mim, está menos no suicídio físico que no suicídio psicossocial. A morte, como dizes, é parte da vida, e não faz sentido buscá-la.
Eu queria apenas salientar aquele número crescente de pessoas que, pura e simplesmente, se demitem de viver, ainda que continuem vivas.
É um dos grandes paradoxos dos nossos dias e das nossas sociedades...
Mais uma vez, muito obrigado!